Nosso comportamento é consequência do que somos, e nós somos o que cremos. Logo, se queremos ter uma conduta melhor, precisamos mudar nossas crenças. Isso estabelece um ponto crítico: Como mudar nossas crenças?
Crer é receber. De acordo com João 1:12 todos quantos receberam o Cristo são os que creram no Seu Nome. I Tessalonicenses 2:13 diz que os que ouviram, receberam e acolheram a Palavra, que operou eficazmente neles, são “os que credes”. Mudar as nossas crenças, portanto, depende de selecionarmos a informação que recebemos. Daí a preocupação do SENHOR Jesus em alertar os discípulos sobre o fermento (doutrina) dos fariseus e saduceus (Mateus 16:5-12). Por isso os bereanos examinavam o que Paulo falava comparando com as Escrituras antes de crer (receber) o que ele dizia (Atos17:10-12).
Informação significa formação interior. Nós a recebemos basicamente pelos nossos cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato. O que pensamos, sentimos e queremos depende da formação interior que é gerada em nós através do que recebemos por esses sentidos, mas principalmente pela visão e audição. Daí a necessidade de uma análise e de uma seleção rigorosa do que lemos, assistimos e ouvimos – em nosso caso, com relação a Palavra de DEUS.
Nosso corpo é a expressão do tipo de alimento que absorvemos, mas nossa alma é a expressão do que vemos (principalmente lemos) e do que ouvimos e absorvemos. Portanto mudar o que cremos para mudar o que somos depende não somente de recebermos informação mas de que tipo de informação escolhemos receber.
Se podemos escolher a informação que queremos então podemos escolher no que queremos crer e podemos, também, escolher que tipo de cristão queremos ser. A responsabilidade é toda nossa.
Muitos cristãos tem uma vida medíocre sem frutos e sem a expressão de DEUS, por não seguir os conselhos do Mestre quanto ao fermento e por não seguir o exemplo dos bereanos. Muitos Naquele Dia virão até o SENHOR cheios de “obras” para contar a Ele e Ele dirá: Nunca vos conheci! (Mateus 7:22-23). Em outras palavras o SENHOR dirá: Quem vos orientou dessa forma?
Ou escolhemos nossa formação interior (o que somos) ou seremos moldados pela opinião alheia. Ou escolhemos no que crer ou creremos no que nos for imposto, e não pelo nosso DEUS!
Na minha experiência, tudo que tenho crido, recebido e abraçado da Fé, por intermédio de Cristo e de Sua Igreja tem me dado um bom crescimento. O Senhor tem me dado através da Comunhão com o ESPÍRITO na Palavra e nas orações, seja na Comunhão com os santos em minha casa, nas reuniões da Igreja ou nas leituras de livros, sites e artigos na internet, individualmente tenho buscado absorver, e isso tem se tornado uma porção da Fé objetiva colocada por DEUS em meu interior. Não me importo com originalidade, me importo em receber boa comida. Quero expor o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo (Efésios 3:8), independente de por quantas mãos elas passaram antes de chegar a mim, fazendo sempre como os bereanos. Isso tem me guardado. Não é soberba, pois não vem de mim.

I Coríntios capítulo 10:21 diz que não podemos comer da mesa do SENHOR e da mesa dos demônios. Amados, o ESPÍRITO que habita em nós não é a Unção que nos ensina sobre todas as coisas? (I João 2:27). “Você é o que você come” diz o adágio popular. Selecionemos então o que iremos comer e teremos uma vida saudável.

Geraldo Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*