O significado da palavra “santo” em hebraico é “cortado” e ”separado”. No hebraico, a ideia é de algo totalmente diferente de todas as outras, que não se compara em nada. Não somente “separado”, mas, em nada “ligado” ou semelhante.

Na oração do Pai nosso, o Senhor Jesus expõe um de Seus anseios: “santificado seja o Teu Nome…”. Obviamente, o Nome do Pai é Santo. Então, por que o Senhor Jesus ao invés de declarar que o Nome do Pai é Santo, Ele demonstra um desejo pela santificação do Nome?

No Antigo Testamento, DEUS estabeleceu um mandamento: “não usarás o Nome do Senhor Teu DEUS em vão.” A palavra “vão” significa “vazio” e “sem valor”. Isso indica que o Nome do Senhor DEUS não poderia ser pronunciado como um nome comum e sem valor. O Nome do Senhor não poderia ser pronunciado como o nome de um objeto, cidade ou homem algum.

O Nome do Senhor também não poderia ser pronunciado em um lugar ou circunstância inapropriado, mas em lugares e circunstâncias especiais. Até mesmo os escribas tinham seu “ritual” no momento de escrever o Nome do Senhor, tamanha a reverência. Há relatos de escribas que se banhavam antes de escrever tal Nome Santo.

Quando O Senhor Jesus diz sobre santificar o Nome do Pai, Ele está tentando mostrar a excelência desse Nome. Está tentando mostrar que o Nome do Pai, não é um nome “vazio” e sem importância, antes é um Nome carregado de significado. É um Nome que carrega a própria Pessoa do Pai.

Não é à toa que na bíblia os nomes tenham significado e relação direta com a personalidade das pessoas. Vemos os casos de Jacó e Saulo que tiveram seus nomes trocados após uma certa transformação em suas personalidades. Da mesma forma, o Nome do Pai carrega a Santidade do Pai, a Justiça do Pai, a Glória do Pai, enfim, a Pessoa bendita do Pai.

Por isso, Pedro disse: ”E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro Nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” Atos 4:12. E Paulo, citando Joel 2:32, escreve: “Porque: Todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo.” Romanos 10:13.  Embora aqui eles estejam falando do nome de Jesus, nós entendemos que o Pai e o Filho são um, João 10:30, logo, se chamamos o Filho, o Pai também vem! 1 João 2:23

No contexto de Mateus Capítulo 6, onde é ensinada a oração do Pai nosso, o Senhor Jesus confronta o crente que ora genuinamente com outros dois tipos de pessoas: Os religiosos hipócritas e os gentios. No caso dos hipócritas (artistas), Jesus mostra que o apreço deles é por eles mesmos. São amantes de si mesmos e não estão preocupados com o Nome do Pai, mas com o deles.

No caso dos gentios (que não conhecem o Nome do Pai), a oração é uma espécie de sacrifício que se repetida pode mover a Mão poderosa de DEUS para o suprimento deles, que é o que os interessa em detrimento do Nome do Pai.

Já em Lucas, no capítulo 11 (outra passagem que cita a oração modelo), a insistência na oração é enfatizada. Deve-se pedir até que seja dado, buscar até que seja achado e bater até que seja aberto. Todavia, o VS 13 mostra a que o Cristo se refere: Ao Espírito Santo e nada mais!

Veja, para nós que estamos mergulhados no pecado e na vaidade, somente com o Espírito Santo nos saturando e nos salvando entenderemos o significado real da grandeza e santidade do Nome, pois o Espírito é Santo! Então teremos o mesmo anseio que houve no Mestre e clamaremos: “santificado seja o Teu Nome”.

O Nome do Senhor deve ser a coisa mais valiosa que temos, a mais importante e real. O Nome do Senhor deve, para nós e em nós, estar separado e cortado de tudo e de todos e deve ser carregado de maneira exclusiva e   mais cuidadosa do que a nossa própria vida, pois é Santo!

E mais, é o Nome do nosso Pai! Aquele que nos gerou e depois nos regenerou! Se o nome de nossos pais terrenos devem ser honrados por nós, quanto mais o Nome do nosso Pai celestial. Se nós somos chamados pelo Nome do Pai, devemos honrar e não manchar esse Nome maravilhoso perante a sociedade. Todos devem saber que esse Nome é precioso para nós! Aleluia!

Esse é o desejo do nosso Senhor e esse é o motivo de Ele ter rogado que o Nome do Pai fosse santificado!

Que possamos, com a ajuda do Espírito Santo, entender e separar, de tudo e de todos, esse Nome Maravilhoso, no mais profundo de nosso ser como crentes genuínos!

Que possamos invocá-Lo ardentemente, sabendo que através desse Nome que está acima e é diferente de todos os outros, nós recebemos a própria Pessoa do Pai! Do nosso Pai!

Geraldo Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*